Responsável técnico

Bibliotecário
Fábio dos Santos Godói
CRB-SP: 010429/O

Nossa história

Por Fábio dos Santos Godoi

Em um pequeno quartinho, surge a primeira tentativa para criação da Biblioteca Municipal. Ainda na década de 1940, o prefeito Alfredo Oliveira Santos Jr. cede uma pequena sala da própria prefeitura. Em 2 de janeiro de 1942 sob o comando da bibliotecária Nice Lucila Siqueira se inicia nossa história. Porém, sem muito êxito, pela precariedade das condições esse pequeno quartinho teve vida breve (BARBOSA; OLIVEIRA; NETTO, 1979).

A história da Biblioteca Municipal de Socorro, no entanto, retoma de maneira mais formal no final de 1970, quando a prefeitura firma um convênio para receber, em comodato, todo o acervo da Biblioteca Vicentina, por prazo indeterminado (SOCORRO, 1970a). Acervo esse pertencente a Associação de Educação e Cultura.

Como forma de custear a manutenção desse acervo a prefeitura recorre ao Instituto Nacional do Livro (INL). Dentre as inúmeras funções o INL tinha como princípio ajudar na manutenção de bibliotecas públicas no país (BRASIL, 1937). Porém, para firmar essa parceria alguns requisitos eram necessários como, por exemplo, atestado de funcionamento, lei de criação da biblioteca ou sala-de-leitura, bem como comprovação de inclusão de verba para manutenção de custeio (BARROSO, 1973).

Dessa maneira, ainda em dezembro de 1970, o então prefeito, Imir Baladi, firma esse convênio com o INL, criando por lei nº 993 uma sala-de-leitura e abrindo créditos especiais para as despesas necessárias (SOCORRO, 1970b). Assim, a Biblioteca Municipal começa a ganhar forma oficial, por meio de leis e verbas destinadas especialmente a ela.

Ainda em seu mandato, após a morte da professora Esther de Camargo Toledo Teixeira (1902-1973), Baladi assina o decreto nº 704, em março de 1974, para denominar a biblioteca com o nome da professora como homenagem póstuma. Segundo o próprio texto do decreto, essa homenagem seria necessária, pois, após trinta anos de magistério dedicados à comunidade socorrense, a “querida mestra” conviveu intensamente com os livros para ministrar suas aulas as luzes do saber (SOCORRO, 1974a).

Um mês depois, em abril de 1974, é liberado um crédito da contadoria municipal para Biblioteca adquirir móveis e equipamentos, bem como para o pagamento de aluguel (SOCORRO, 1974b). Em outubro há mais um reforço dessa verba (SOCORRO, 1974c). E por fim, no mesmo ano, são destinadas verbas especiais a Biblioteca para assinaturas de jornais e revistas (SOCORRO, 1974d). Aos poucos a Biblioteca Municipal socorrense se consolida no erário do município, bem como uma instituição a mais no combate ao analfabetismo e, também, para enriquecimento no setor cultural socorrense.

Uma década depois, em outubro de 1984, Franco Montoro, então governador do Estado de São Paulo, cria o Sistema de Bibliotecas Públicas do Estado de São Paulo (SisEB) (SÃO PAULO, 1984). Nesse mesmo ano, apenas dois meses depois, Valdir Bortolasso, então prefeito da cidade de Socorro, sancionava, enfim, a lei da criação da Biblioteca Municipal de Socorro, nos moldes da exigência da lei estadual (SOCORRO, 1984). Dessa forma, a Biblioteca Municipal socorrense já nasce fazendo parte do SisEB, no qual faz parte até os dias atuais. Portanto, a data oficial da criação da Biblioteca Municipal de Socorro é 06 de dezembro de 1984, pela lei nº 1857.

Já na segunda década do século XXI mais duas leis são incorporadas a Biblioteca Municipal, primeiramente, quando houver aquisição de livros, a necessidade de se reservar uma parte da verba para compra de livros em formatos acessíveis, isto é, para pessoas com deficiência visual (SOCORRO, 2017a). E também a obrigatoriedade de oferecer o serviço de internet móvel a todos, durante o horário de funcionamento da Biblioteca (SOCORRO, 2017b).

Isso demonstra a adaptação da Biblioteca Pública a sua função ao longo do tempo. A evolução da sociedade socorrense e a própria adaptação da Biblioteca para atender esse público mais dinâmico quanto a sua comunicação, sem deixar de lado aspectos da acessibilidade.

REFERÊNCIAS

BARBOSA, B. G. S.; OLIVEIRA, G. D.; NETTO, J. Z. (org.). Estância turística de Socorro. Álbum do sesquicentenário 1829-1979. Socorro: O.G. amparense, [1979].

BARROSO, M. A. Instituto Nacional do Livro. Revista Brasileira de Biblioteconomia e Documentação, São Paulo, v. 1, n. 1/3, p. 45-63, jan./mar. 1973

BRASIL. Decreto-lei nº 93, de 21 de dezembro de 1937. Cria o Instituto Nacional do Livro. Rio de Janeiro: Presidência da República, Casa Civil, 1937.

SÃO PAULO (Estado). Decreto nº 22.766, de 9 de outubro de 1984. Cria o Sistema de Bibliotecas Públicas do Estado de São Paulo e dá providências correlatas. São Paulo, SP: Secretaria de Estado do Governo, 1984.

SOCORRO. Decreto nº 704, de 19 de março de 1974. Socorro, SP: Secretaria da Prefeitura, 1974a.

SOCORRO. Lei nº 992, de 03 de dezembro de 1970. Socorro, SP: Secretaria da Prefeitura, 1970a.

SOCORRO. Lei nº 993, de 03 de dezembro de 1970. Socorro, SP: Secretaria da Prefeitura, 1970b.

SOCORRO. Lei nº 1.857, de 06 de dezembro de 1984. Cria a biblioteca pública municipal e dá outras providências. Socorro, SP: Prefeitura Municipal de Socorro, 1984.

SOCORRO. Lei nº 1242, de 25 de abril de 1974. Socorro, SP: Secretaria da Prefeitura, 1974b.

SOCORRO. Lei nº 1268, de 10 de setembro de 1974. Socorro, SP: Secretaria da Prefeitura, 1974c.

SOCORRO. Lei nº 1277, de 14 de outubro de 1974. Socorro, SP: Secretaria da Prefeitura, 1974d.

SOCORRO. Lei nº 4.070, de 27 de junho de 2017. Estabelece que a aquisição de livros para o abastecimento[…]. Socorro, SP: Prefeitura Municipal de Socorro, 2017a.

SOCORRO. Lei nº 4.071, de 27 de junho de 2017. Dispõe sobre a internet móvel “Wi-Fi” na biblioteca pública[…]. Socorro, SP: Prefeitura Municipal de Socorro, 2017b.